• Data: 13/03/2019

Promotora recorre ao TJ para prender ex-zelador acusado de estupro

 A promotora Adriana de França, da Promotoria de Justiça Criminal de João Pessoa, recorreu da decisão do juiz da 1ª Vara Criminal, Adílson Fabrício Gomes Filho, que negou pela segunda vez a prisão do ex-zelador do colégio Geo Tambaú, acusado de praticar estupro dentro da escola. O recurso foi impetrado no Tribunal de Justiça que é a instância maior do estado.

As promotorias relatoras do processo queriam que o ex-zelador ficasse preso preventivamente, durante a instrução do processo, assim como aconteceu com três dos quatro adolescentes acusados, que foram apreendidos na última segunda-feira. O quatro está sendo procurado.

O ex-zelador e os quatro adolescentes estão sendo acusados de abusar sexualmente de quatro alunos de oito anos de idade, no banheiro do colégio, que fica no bairro de Tambaú. De acordo com a investigação, entre fevereiro e maio de 2018, as vítimas foram ameaçadas e obrigadas a sair da sala de aula, durante as aulas, para ir ao banheiro e serem abusadas.

Participação

A participação do ex-zelador, que ajudava os menores na execução do crime, interditando o banheiro no momento dos abusos e também participando deles, fez com que o processo fosse dividido entre a Vara da Infância e o 1º Vara Criminal, que assumiu a investigação sobre o adulto. A promotora Adriana França não quis comentar detalhes do processo, mas confirmou que foram feitos dois pedidos de prisão.



 

Voltar

PUBLICIDADES