clique para ler a matéria
Apesar de pagar R$ 12 mil por locação de caminhão compactador em apenas um mês, coleta de lixo em Lucena continua sendo feita em veículo aberto; veja documentos do TCE
  • Data: 12/09/2020

Apesar de pagar R$ 12 mil por locação de caminhão compactador em apenas um mês, coleta de lixo em Lucena continua sendo feita em veículo aberto; veja documentos do TCE

A cidade de Lucena, no Litoral Norte paraibano, é uma das que ainda possuem lixões a céu aberto, mesmo após o prefeito Marcelo Monteiro ter assinado Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público da Paraíba.

LEIA TAMBÉM: Prefeitos na Paraíba viram alvo do Ministério Público e podem pegar até 5 anos de prisão; saiba quem são

Faltando apenas três meses para o fim dos oito anos da atual gestão, o problema ainda persiste no município. Inclusive, recentemente o Ministério Público do Estado anunciou que ingressará com ações criminais contra os prefeitos que insistem em descumprir tal determinação.

Como se não bastasse o aterro sanitário ainda não estar em funcionamento, a coleta de lixo de Lucena continua sendo feita em caminhão aberto, o que é proibido pela legislação vigente no país. Pelo menos é o que atesta empenho pago pela prefeitura divulgado pelo Tribunal de Contas da Paraíba (TCE-PB).

No documento, fica demonstrado o gasto de R$ 2,3 mil para a locação de um caminhão aberto durante o mês de julho. Veja documento abaixo:

Recentemente, a atual gestão anunciou o início da coleta em um caminhão compactador. O que poucos sabem é que o veículo é locado a uma empresa citada no âmbito da Operação Calvário, e que no mesmo de julho recebeu R$ 12 mil para fazer o serviço na cidade. Veja documento abaixo:

Moradores de vários bairros reclamam de atrasos na coleta e pedem providências para a erradicação do lixão, que além de poluir o meio ambiente, contribui para a proliferação de doenças no município.



 

Voltar