• Data: 07/05/2019

ALPB realiza sessão especial para debater acidentes de trânsito

 A cada oito horas, uma pessoa morre em decorrência do trânsito na Paraíba. No ano passado o Estado registrou uma média de três pessoas mortas por dia nas rodovias, avenidas e ruas, de acordo com levantamento da Seguradora Líder, que administra o DPVAT. Para debater e encontrar soluções para o problema, a Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), realiza na quinta-feira (9), a partir das 10 horas, sessão especial em alusão ao Maio Amarelo, mês de prevenção aos acidentes de trânsito. A propositura é do deputado estadual Eduardo Carneiro (PRTB).

“Os acidentes de trânsito são um grave problema de saúde pública. Precisamos encontrar mecanismos para diminuir o número de mortes e de pessoas que ficam mutiladas em decorrência deles. Durante essa sessão vamos reunir órgãos públicos, entidades sem fins lucrativos e população em geral para debater esse grave problema e encontrar soluções. Acredito que a educação, a formação de verdadeiramente cidadãos, que conhecem deveres e direito, é a chame para a redução dos acidentes de trânsito”, destacou o parlamentar.

A quantidade de vítimas em acidentes nas rodovias federais é considerada uma das principais causas de morte no País. Pesquisa do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação mostra que a falta de atenção e a imprudência dos motoristas são maiores causadores de acidentes nas estradas federais. Segundo os dados, 53,7% dos acidentes são causados pela negligência ou imprudência dos motoristas, seja por desrespeito às leis de trânsito (30,3%) ou falta de atenção do condutor (23,4%). É o chamado “fator humano”.

Aproximadamente 30% dos casos de óbitos são causados pelo desrespeito, o que, em números absolutos, representa mais de 23 mil mortos. Já em relação à falta de atenção, foram mais de 15 mil mortos e 276 mil feridos no mesmo período. Este ano, só nas rodovias federais da Paraíba, conforme divulgação feita pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) em nosso Estado, 23 pessoas morreram vítimas de acidentes de trânsito envolvendo motocicletas nos meses de janeiro, fevereiro e março. O número é 21% maior que o registrado no primeiro trimestre do ano passado.



 

Voltar